domingo, 12 de outubro de 2008

Uma vida inventada - Maitê Proença

Não há nada mais primário e mesquinho do que enxergar os atos alheios pelo ângulo exclusivo da acusação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget